fbpx

O caju é um dos frutos secos mais valorizados principalmente, por ser produzido em países de clima tropical.

farinha-de-caju-estudos

  • Fruto seco oleaginoso, de sabor doce e agradável, a castanha é rica em ácidos graxos não saturados como oleico e linoleico, além de vitaminas como B1 e B2 e ácido pantotênico. Mais do que isso, sua farinha também é rica em potássio, fósforo e zinco, com maior destaque em magnésio e ferro. (Flormel, 2012)
  • É considerada rica em um aminoácido denominado L-triptofano e seu consumo pode diminuir o mau humor e o sintomas da depressão. (Souza, 2007)
  • Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a carência do ferro pode atingir mais de 50% das gestantes brasileiras, provocando anemia. Esta doença, se não tratada, pode aumentar as taxas de partos prematuros, de depressão pós-parto, do nascimento do feto com baixo peso e pode também interferir no desenvolvimento físico e motor ao longo da infância. A ingestão de alimentos ricos em ferro, como a farinha de caju, pode ser a melhor maneira de combater a doença. (Fonte: Portal da inteligência)
  • As farinhas de frutos apresentam como vantagens: uma maior conservação e concentração dos valores nutricionais, permite uma ampla gama de aplicações e diferenciadas possibilidades de uso. (Meloni 2005)
  • A farinha de caju contêm minerais como magnésio, fósforo e zinco. O magnésio é essencial para manter o nosso corpo em atividade e ajuda a diminuir a frequência das crises de enxaqueca, previne os ataques cardíacos e reduz a pressão arterial; o fósforo auxilia na manutenção da boa saúde dos ossos; o zinco atua no fortalecimento das defesas do organismo contra doenças.

(Fonte: Revista Saúde é Vital)

Referências Bibliográficas:

FLORMEL. Benefícios e Propriedades da Castanha de Caju.

Souza, R. L. A.; Alcântara, S. R.; Pinto, G. A. S.; Silva, F. L. H.; Macedo, G. R. Aplicação da metodologia de superfície de resposta no estudo da produção de pectinase por fermentação em estado sólido do pedúnculo de caju. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais.

http://adcon.rn.gov.br/ACERVO/EMPARN/DOC/DOC000000000017470.PDF

MELONI, P.L.S., Manual de produção de Frutas Desidratadas, Instituto de Desenvolvimento da Fruticultura e Agroindústria – Frutal/ Sindicato dos Produtores de frutas do Estado do Ceará – Sindifruta, 2006.

Menu