Crataegus

O fruto é uma pequena drupa vermelha, menor a 1 centímetro de comprimento, contendo uma a três sementes. O Crataegus é quase sem odor e sabor. (…)

Categoria: Tag:

Descrição

O fruto é uma pequena drupa vermelha, menor a 1 centímetro de comprimento, contendo uma a três sementes. O Crataegus é quase sem odor e sabor.

INDICAÇÕES FARMACOLÓGICAS:
Indicado principalmente no mau funcionamento cardíaco: extra-sístoles, taquicardia paroxística, palpitações, coronarites, hipertensão arterial, arteriosclerose, prevenção da angina pectoris, insuficiências cardíacas leves,
recuperação pós-infarto e espasmos vasculares. Atua também no sistema nervoso central, nas distonias neurovegetativas e nas úlceras por stress.

Na Homeopatia o Crataegus é um grande tônico para o coração, utilizado principalmente na arteriosclerose, na asma cardíaca e na angina. Podemos dividir em duas partes os efeitos proporcionados pelo Crataegus: um cardiovascular e outro, em menor proporção, sobre o sistema nervoso central.

MODO DE USO:

  • Infusão: Uma colher de sobremesa por xícara, infundindo (abafado ou por maceração) por 15 minutos. Tomar três vezes ao dia (preparação que consiste em verter água fervente sobre a droga vegetal e, em seguida, tampar ou abafar o recipiente por um período de tempo determinado. Método indicado para partes de drogas vegetais de consistência menos rígida tais como folhas, flores, inflorescências e frutos, ou com substâncias ativas voláteis);
  • Tintura (1:5): 50-100 gotas antes de cada refeição, três semanas ao mês, como
    hipotensor; 40 gotas antes de dormir, como sedante e anti-espasmódico;
  • Extrato Fluido (1:1): 30 a 50 gotas, uma a três vezes ao dia (Alonso, 1998);
  • Extrato Seco (5:1): 0,5 a 1 grama/dia (1 grama equivale a 5 gramas da planta
    seca);
  • Homeopatia: 1 a 25 gotas da tintura-mãe por dia, em doses de cinco gotas cada uma.


VARIEDADES:
FRUTO.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

ALOSO, J. R. Tratado de Fitomedicina. Isis Editora. 1998.

ANVISA- AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA-RESOLUÇÃO – RDC Nº 10, DE 9 DE MARÇO DE 2010.

PR VADEMECUM DE PRECRIPCIÓ DE PLATAS MEDICIALES. CDROM. 3a edição. 1998.
READER’S DIGEST Segredos e Virtudes das Plantas Medicinais. 1983.
SCHAWEBERG, P.; PARIS, F. Guia de las Plantas Medicinales. Omega.
1980.

FARMACOPÉIA BRASILEIRA. 1977.

CAIRO, . Guia de Medicina Homeopática. Livraria Teixeira. 1983.

SIMÕES, C. M. O. Farmacognosia da Planta ao Medicamento. Ed. UFRGS.
1999.
COIMBRA, R. Manual de Fitoterapia. Cejup. 1994.

SOARES, A. D. Dicionário de Medicamentos Homeopáticos. Livraria Editora.

Menu